Como usar o Google Analytics Events Tracker?

Qual a importância de rastrear eventos no seu site e como fazer isso de forma simples.

Introdução

Fala pessoal, o post de hoje será sobre um assunto que eu gosto demais, métricas! Vira e mexe eu posto algumas coisinhas no meu Twitter sobre estatísticas do blog e até mesmo em outros trabalhos, eu era vidrado em analisar dados. Sejam dados de performance, acessos e outras coisinhas mais.

Na maioria das vezes, eu faço essas métricas por curiosidade e elas não tem nenhum objetivo final. Mas essas métricas são extremamente importantes, principalmente se você tem um negócio próprio e deseja medir sua performance de vendas, atração de novos usuários e etc. Então por isso que irei falar sobre isso =)

Enquanto eu escrevo esse post vou ouvindo um músico/youtuber que encontrei por acaso no Spotify, ele faz músicas instrumentais muito boas! Se curte rock instrumental, vai no perfil dele no Spotify.

O que são esses eventos?

Antes de falar como usar, é melhor explicar o que são né? A explicação mais simples é:

Evento é uma interação/atividade do usuário com elementos da página, pode ser desde a simples view até interações mais diretas, como o clique ou submissão de um formulário.

Alguns exemplos de interação seriam:

  • View de uma página
  • Clique num link de menu
  • Uma busca no site
  • Play num vídeo
  • Download de um pdf
  • Play de um podcast
  • Scroll da página

Enfim, você pode mensurar qualquer tipo de interação que o usuário tenha no seu site!

Qual a importância disso?

Se até agora você não viu a importância disso, vou dar alguns exemplos para ajudar.

Situação 1:

Você tem um site onde publica seus podcasts e quer saber quantas pessoas entram na página e quantas de fato botam para tocar o episódio.

Situação 2:

Você tem um blog e deseja saber se as pessoas fazem de fato a leitura do post. Você pode analisar a porcentagem de scroll que eles fazem na página, assim é possível ter uma métrica melhor do que só a view.

Situação 3:

Você tem um ecommerce online e deseja saber a porcentagem de pessoas que adicionam coisas no carrinho, mas não finalizam. Você pode adicionar um evento no botão de adicionar ao carrinho e analisar contra as vendas e assim vai ter dados melhores também.

Enfim, são infinitas as possibilidades de métricas que você pode criar e analisar e os ganhos são imensos!

A estrutura dos eventos

O Google Analytics tem uma estrutura bem definida dos eventos, o que facilita demais para podermos criá-los e criar métricas em cima deles. Essa estrutura é formada por 5 dados:

Event Category

Esse é o nome dado para um grupo de eventos similares que você deseja rastrear. Exemplo: eu tenho uma página de cursos e quero analisar o clique nos cursos. Todos os eventos ficam na categoria "cursos" então. Assim como os links de curso que tenho.

Event Action

Como o nome já diz, essa é a ação que você está rastreando. Exemplos: play de vídeo, clique num curso, clique num link do menu, scroll de uma página.

Event Label

Aqui é onde você especifica melhor o evento em si. Por exemplo, no caso dos meus cursos, é aqui que eu defino o nome do curso que foi clicado. Assim eu consigo através do category ver todos os cliques nos cursos e aqui eu consigo ver curso a curso de forma mais específica. Assim eu consigo saber qual o curso mais clicado, por exemplo.

Event Value

Esse é um valor numérico, que você assinala ao evento que está rastreando. Geralmente é associado a um valor monetário. Exemplo: o valor do produto que foi adicionado ao carrinho, valor que o download de um pdf significa, etc.

Non Interaction

Esse é o último parâmetro que você passa no evento. Como disse lá acima, evento pode ser uma interação ou atividade do usuário. Para informar se esse evento é interativo ou não, você passa esse último parâmetro, iremos entrar em mais detalhes da implementação logo abaixo.

Implementando o Google Analytics

A primeira das coisas e mais óbvia é que você precisa criar uma conta no Google Analytics e o processo, como mostrado na imagem abaixo, são basicamente 3 etapas:

Uma imagem mostrando as 3 etapas do Google Analytics. Você primeiro passa alguns dados, vai receber um script para colocar no site e depois é só aguardar e ver os dados no site do analytics.

Esse código de acompanhamento é bem famoso, e fica parecido com o abaixo:

<!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->
<script async src="https://www.googletagmanager.com/gtag/js?id=UA-58087941-1"></script>
<script>
  window.dataLayer = window.dataLayer || [];
  function gtag(){dataLayer.push(arguments);}
  gtag('js', new Date());

  gtag('config', 'XX-XXXXXXXX-X');
</script>

O mais importante desse script é o seu tracking code, que ali está representado por XX-XXXXXXXX-X.

No meu caso, como eu uso o Gatsby, existe o gatsby-plugin-google-analytics, e aí a configuração fica:

// gatsby-config.js

module.exports = {
  plugins: [
    {
      resolve: `gatsby-plugin-google-analytics`,
      options: {
        // replace "XX-XXXXXXXX-X" with your own Tracking ID
        trackingId: "XX-XXXXXXXX-X",
      },
    },
  ],
}

Implementando os eventos

Como eu já disse tudo sobre a estrutura ali acima, então fica muito fácil de implementar! A sintaxe é a seguinte:

ga('send', {
  hitType: 'event',
  eventCategory: [Category],
  eventAction: [Action],
  eventLabel: [Label],
  eventValue: [Value],
  nonInteractive: [True | False]
});

Como a ordem dos parâmetros é sempre a mesma, você pode simplificar mais e colocar só:

ga('send', 'event', 'Category', 'Action', 'Label', 'Value');

Okay, o código é esse, mas como e onde você coloca? Vamos a alguns exemplos:

Em eventos de click, onde são geralmente botões, você pode fazer até inline como:

<a href="/foo" onclick="ga('send', 'event', 'Category', 'click', 'Label', 'Value');">Ir para Foo</a>

Se for algum evento de view, você pode colocar também diretamente na página, com um script inline:

<script>
ga('send', 'event', 'Category', 'View', 'Label', 'Value', nonInteractive: true);
</script>

E se for algum evento ligado a um scroll, por exemplo, você pode adicionar diretamente no seu script, só lembrando de verificar a existência do window.ga, algo como:

document.addEventListener('scroll', () => {
  if typeof window.ga !== undefined {
     // sua implementação aqui e mais o evento
     ga('send', 'event', 'Category', 'Scroll', 'Label', 'Value');
  }
})

Como eu faço no Gatsby/React?

Existe um plugin chamado React GA, que já facilita com todas as configurações necessárias para mim. E aí no exemplo da minha página de cursos, basta eu fazer o seguinte código:

const courseClickTrack = title => {
  ReactGA.event({
    category: 'cursos',
    action: 'click',
    label: `Link Curso - ${title}`
  })
}

const Course = ({ title, description, link, image }) => {
  return (
    <S.CourseLink href={link} onClick={() => courseClickTrack(title)}>
      <S.CourseWrapper>
        <Image filename={image} alt={title} />
        <S.CourseInfo>
          <S.CourseTitle>{title}</S.CourseTitle>
          <S.CourseDescription>{description}</S.CourseDescription>
        </S.CourseInfo>
      </S.CourseWrapper>
    </S.CourseLink>
  )
}

Repare que no onClick do React eu ainda passo o title para que assim a minha label tenha diferentes valores para cada curso.

E eu faço isso para outras coisas, como podem ver nesse tweet. Então, se quiserem ver os trackers que eu uso, só acessar o código fonte do blog.

Conclusão, Agradecimento e chamada para Open Source

É isso pessoal, espero que esse post ajude você a conseguir criar métricas mais legais e interessantes para os seus próximos sites. E se você tiver outras sugestões, não deixe de falar ali nos comentários ou no Twitter.

E para continuar, quero fazer um agradecimento ao Luciano Carvalho que achou links quebrados no blog e não só avisou, como fez um Pull Request corrigindo.

Outras pessoas avisaram coisas via Twitter também e até fizeram sugestões, fica aqui meu obrigado a todos vocês! <3

E se você está começando na área e não sabe como iniciar, está aí uma oportunidade! O meu blog inteiro é open source e você pode ajudar na revisão dos artigos, melhorias de código e até inclusão de features que você acha que seria legal ter. Não perde a oportunidade e vai lá no Github agora.

Comentários