Introdução

Fala pessoal, o post de hoje é totalmente inspirado em um vídeo bastante legal, que eu acho motivacional para caramba e que eu gostaria de ter assistido há mais tempo. O vídeo em questão se chama Nobody Tells This To Beginners e se trata de uma montagem em cima da entrevista de Ira Glass sobre esse assunto.

Vídeo Inspirado

Se você estiver tendo problemas de visualizar o vídeo acima completo, tente esse aqui

Transcrição Livre

“Ninguém diz isso para os iniciantes. Eu desejava que alguém tivesse me dito. Todos nós que fazemos trabalhos criativos, entramos nisso porque temos bom gosto. Mas existe uma lacuna. Nos nossos primeiros anos que fazemos coisas, elas não são tão boas. Elas tentam ser boas, tem potencial, mas elas não. Mas o seu bom gosto, a coisa que fez você entrar nesse jogo, ainda é matador. E o seu bom gosto é o que faz o seu trabalho te desapontar. Várias pessoas nunca passam dessa fase, elas desistem. Várias pessoas que eu sei que fazem trabalhos criativos e interessantes passaram por anos disto. Nós sabemos que nosso trabalho não tem aquela coisa especial que gostaríamos que tivesse. Todos nós passamos por isso. E se você está apenas começando ou ainda está nessa fase, você precisa saber que isso é normal e a coisa mais importante que você precisa fazer é um monte de trabalhos. Coloque uma meta para você e toda semana você vai terminar um projeto. Só passando por um grande volume de trabalho que você irá diminuir essa lacuna e o seu trabalho vai ser tão bom quanto suas ambições. E eu levei mais tempo para descobrir como fazer isso do que qualquer um que eu já conheci. Vai demorar. É normal que demore. Você só tem que lutar contra seu caminho.”

Análise e Introspecção

Enquanto fui escrevendo essa análise, fui ouvindo uma puta playlist do Spotify, que aconselho a você ir escutando junto, talvez ela te inspire e te anime também.

Você já teve a sensação de que tudo que faz não é tão bom como você gostaria que fosse? Que pessoas de 20 anos fazem coisas incríveis, que você jamais se imaginou tendo capacidade de fazer? Que por mais que você estude, vire horas e horas, nunca é o suficiente para alcançar aquilo que você acha que é o bom? E aí você começou a se desgastar, se sentir péssimo, com vontade de desistir de tudo e tentar outra coisa?

Como o Ira Glass diz, isso é normal, você tem bom gosto, você sabe olhar bons trabalhos e dizer o quanto eles são bons.

O que você não pode fazer é comparar o seu trabalho com o dos outros e se diminuir, cada um teve o seu tempo de estudo, seu tempo de aprimoramento, melhoria e principalmente, todos passaram pela mesma fase que você está passando. O que você deve fazer é identificar e entender essa fase que você está passando, pois quando ela passar, você terá superado tudo e seus trabalhos terão alcançado o nível que você tanto almejava.

Você pode pensar que eu já passei por essa fase e me sinto ótimo, que eu tenho trabalhos legais, escrevo num blog que um monte de gente já conhece, que faço palestras. Mas é aí que você se engana, todo dia eu acordo com a sensação de que tenho muito a fazer ainda, que tudo que eu já fiz e faço, ainda não valeu a pena.

Mas eu finalmente estou começando a identificar isso e ver que é só uma fase. E o que estou fazendo para me sentir melhor e para melhorar isso? Começo projetos e projetos. Tenho colocado deadlines para eles e com isso vou aprendendo coisas que eu sempre quis e que se eu não tivesse criado esses desafios, talvez nunca teria começado.

Esses projetos podem ser qualquer coisa. Sempre teve vontade de escrever um blog? COMECE! Sempre quis contribuir no github? COMECE! Sempre teve vontade de palestrar e passar o seu conhecimento para a comunidade? COMECE!

Você pode passar o resto da vida achando que não tem o “conhecimento suficiente”, que não tem a “experiência necessária”, que as pessoas vão rir de você. Ou você pode começar a se mostrar, começar a fazer aquilo que sempre quis fazer, mas tinha medo. Se suas primeiras críticas não forem boas, CONTINUE, ninguém disse que seria fácil, mas ninguém disse que seria impossível também.

Tem um artigo lindo e ótimo do Daniel Filho que é Queime seus ídolos. O que eu prefiro entender do post dele é que não é para você deixar de ter pessoas que você se espelha, mas elas são pessoas como você, elas também erraram bastante, elas passaram pelas mesmas fases que você. Não pense que elas estão lá por serem muito melhores que você, ninguém sabe pouco o suficiente. Aquele seu ídolo pode ser um gênio no JS e mal saber CSS, isso não faz dela ruim. Digo o mesmo para você, você está começando ou já está há um bom tempo na área, não se diminua, tente passar o pouco que você sabe para os outros e você verá que o pouco que você sabe já é muito para outros.

Há alguns dias eu postei na timeline do meu Facebook um vídeo bem interessante, mostrando o criador do Node.JS na sua primeira apresentação.

Um cara franzino, tímido, embolado com as palavras, que nem sabia se iria funcionar seu side project. E que hoje é só conhecido por ter ajudado na criação da ferramenta de desenvolvimento que mais cresce no mundo.

Ou seja, se você é tímido, tem vergonha de se apresentar, tem vergonha do que faz e nunca mostra nada para os outros. Perca esse medo! Contribua no Github, faça um blog, grave vídeos, se mostre! Você pode ser o mais novo grande desenvolvedor da década.

Conclusão

Posso ter escrito um monte de baboseiras que você deve ter lido e falado super mal, mas eu coloquei aqui, eu não tive medo. Eu poderia ter guardado esses sentimentos e pensamentos só para mim. Mas uma das coisas que eu mais amo da comunidade Dev e que não vejo em nenhuma outra área é a disposição que todos nós temos de ajudar uns aos outros. Eu poderia citar aqui diversos programadores que me ensinaram muito e que me fizeram ser o que sou hoje. E você que está lendo, pode ser mais um a me ajudar, a ajudar os outros e ajudar a si mesmo.